4.07.2021

Oração

Para que a ansiedade não seja marota

Nem o medo tome conta do meu racional

Para que meus pés permaneçam no chão

E meus olhos enxerguem a verdade

Que os meus sentidos convivam em harmonia

E consigam transmitir quem eu sou até o último momento

Que meus semelhantes olhem para Ti

E encontrem essa paz e certeza que Tua Presença nos dá

Liberdade plena

Vida plena

Mesmo quando tudo esteja tão estranho e a dor pareça com dor de queimadura.

 

FerPerl©

4.05.2021

Ninguém define o amor

Ninguém define o amor

No máximo o que se têm são percepções muito pessoais

As quais se evitam ou se buscam

E, mesmo assim, é quando acontece "sem querer"

Que já eram toda lógica e definições

Sinta

Apenas sinta

É assim que melhor se define o amor.

Fer Perl©


4.04.2021

O Entardecer da Vida

 Como o Sol que, depois de todo um dia de exposição, vai-se descansar

Assim, também, a vida tem seu entardecer

É quando as cores são mais vivas

E os sorrisos são mais preciosos

Passos precisos

Cálculos exatos

Ou experiências desalinhadas daquelas de sempre 

E nunca chegar a um fim mesmo nos pontos finais

Pois, as histórias continuam

E entrelaçam-se numa dança perfeita

Que, mesmo sem sinfonia ao fundo, você sente

O passar do tempo com o Sol se indo 

E, aos poucos, a escuridão da noite

Que é vida de outra forma

Acolhida, escondida voltada para dentro

Das casas, dos prédios, dos carros, de nós

O nosso entardecer é quando olhamos a vida de cima 

E podemos perceber detalhes que não poderíamos perceber antes

Maravilhoso

Tudo é maravilhoso

Principalmente sentir.


Fer Perl©


3.22.2021

Sob meus pés

 A grama sob meus pés nus é temporalidade

A areia da praia não, ela é sempre 

Talvez, seja o conjunto: o som do mar, o cheiro, a brisa, o sal

A rocha é sensação de respeito, de não domínio

Do tempo que levou para existir

E meu corpo?  Será terra, gota de água, rocha, poeira de estrela, no fim.


Fer Perl©

4.28.2018

Pensamentos de uma escritora/ A witer's thoughts

Eu ficaria feliz se tivesse cinco minutos ao seu lado. Cinco minutos olhando nos seus olhos. Cinco minutos decifrando seus sinais. Cinco minutos eternos.

I'd be happy If I had five minutes by your side. Five minutes looking into your eyes. Five minutes deciphering your signs. Five eternal minutes.




Fer Perl©

10.21.2017

Sentir Sem_Ti

Não exija de si entender um sentimento
Sentimentos não são compreensivelmente racionais
Eles são sentidos
E, por mais inesperados que sejam, são reais
Quase tocáveis por dentro de nós
Mas, não são feitos à nossa medida
Portanto, podem transbordar para fora e quase nos sufocar
Somos pequenos, ou apertados demais
Mas, conseguimos lidar com sua impetulância
E, um dia, quase que inesperadamente
Conseguimos nos livrar de alguns
De outros, não
Só nos resta sentir e seguir
De repente, talvez, se vão
E o sentir sem ti vira para sempre sem sentir sem ti.

Fer Perl©



9.23.2017

Aquela dor

Mãe, eu sabia que iria doer demais
Mas, não fazia ideia do que significaria perder você
É uma dor profunda, doída demais
Você está em mim
Você está em Deus
E Deus é Quem nos une
Em um amor eterno
De saudade, dor, esperança
E fé
Te amo para sempre.

Fer Perl©

8.31.2016

Íons

São pequenas coisas que controlam a vida, coisas "invisíveis aos olhos"
As grandes coisas dependem das pequenas
Aquilo que é maior que a vida depende do alimento que recebe dentro de cada um
Mas, o que tem o tamanho da vida depende simplesmente do tempo
E vive e trabalha e cansa e renova e segue
A pequenos passos, ou pulsos
A grandes saltos, ou abstenções.
Fer Perl©

8.29.2016

Apoptwsiz: tudo tem mais valor quando está em “falta”

Nós também temos nossas folhas que mudam no Outono. Você percebe isso?


Esse é um termo de origem grega. Significa queda das folhas das árvores no Outono. Fala daquele momento em que as folhas mudam de cor e caem da árvore. Sinal de renovação. Sinal de recomeço. Sinal de transformação programada pela Natureza da planta. Já pensou se nós fôssemos assim, também? Se soubéssemos programar as podas das nossas folhas para determinado momento? Se pudéssemos perceber as mudanças de cor em nós, nos outros, nas situações? Talvez, não tenhamos o poder de programar todas as coisas, mas, assim como as árvores, nós também perdemos nossas folhas. O complicado é que muitas vezes não nos damos conta disso.
Pois é, a vida anda tão corrida que os sinais mais simples, muitas vezes, passam despercebidos a nós. Você já parou para perceber que o olhar do seu filho, ou dos seus pais, está distante? E o sorriso do seu companheiro/companheira está meio sem brilho? Já percebeu, antes de tudo, o seu próprio aspecto no espelho? Quanto vale toda nossa correria? O preço do brilho do sorriso e do olhar de quem precisa apenas de um abraço ou de alguns minutos para se abrir? Muitas desilusões são interrompidas com apenas um pouco de diálogo. Muitas situações difíceis, algumas sem volta, também. Perder o contato com quem divide o mesmo teto que você é distanciar-se demais das transformações pelas quais cada um passa.
Quantos relacionamentos deixam marcas profundas, em nós, por vácuos feitos de silêncios e solidões? Quando a porta de um quarto separa duas vidas que deveriam ser, ao menos na teoria, unidas, com pontos importantes de interseção. Quando menos damos conta, o tempo passou. E não acompanhamos o crescimento, a mudança da cor do cabelo do outro, a formação da personalidade, a mudança do
jeito de pensar.
“Mas, eu estou lutando por todos”, talvez você esteja pensando. De que forma se luta por alguém? É justo que se queira um tempo para si, depois de um dia de trabalho estressante. Mas, respirar fundo e, mesmo no cansaço desumano, parar e ouvir é uma atitude tão importante quanto ter horas de diálogo com a pessoa. Pois, a própria pessoa percebe o seu esforço. Tudo tem mais valor quando está em “falta”. Como quando uma comunidade passa por um período de temperaturas abruptas e a colheita não é a esperada. O pouco que se colhe passa a valer muito mais do que valeria em tempos de abundância. Assim também é o amor. E o tempo dedicado a alguém que se ama depende, exclusivamente, da qualidade não da quantidade.
Em tempos modernos, o fácil é cada um ter seu celular, seu grupo no Whatsapp, sua conta no Face, sua TV no quarto, enfim. Como se, naturalmente, houvesse uma força que nos dispersasse uns dos outros nos mantendo em nossos próprios mundinhos. E, adentrar no mundinho alheio passa a ser uma afronta. No entanto, a nossa base fica abalada, pois as pessoas nas quais deveríamos encontrar apoio nas horas mais difíceis estão Offline, Ausentes, ou apenas com a porta do quarto fechada e um aviso de “Não incomode” pendurada nela.
O diálogo olho no olho, as expressões faciais, o jeito de agir e de falar, as palavras estremecidas, as mãos, isso só se consegue de perto. Esses são detalhes que se deveriam conhecer uns dos outros, ao menos daqueles que dividem o mesmo teto, o mesmo afeto, na maioria das vezes, o mesmo sangue que nós. Muitas vezes, há pessoas em um processo de “apoptwsiz” da alma e nós não conseguimos nem perceber que a cor de suas folhas já não é a mesma. Amar é prestar atenção no que o outro tem a falar. Nessa vida única, antes que o Outono acabe.
Fer Perl©

Nós e aquele vírus intelectual que nos perturba

Só nos magoa quem está dentro de nós. Talvez, em uma tentativa de sair. Talvez, por projetarmos na pessoa expectativas que não são reais. Criamos um mito ou, simplesmente, queremos sempre ter razão.



A vida é assim, a gente magoa quem a gente ama. A gente é magoado por quem a gente ama. Mas, como disse outra vez: “só nos magoa quem está dentro de nós”. Se, de alguma forma, alguém tomou espaço em seu coração, os sinais dessa pessoa passam a ter mais intensidade na sua percepção. Ou seja, uma palavra vale mais. Uma bronca pesa mais. Um sorriso tem mais significado. Por que você permitiu que essa pessoa passasse a fazer parte de si. Umas menos, outras mais.
Alguém falou, um dia, que quando a gente grita, em uma discussão, é por que o outro está afastado do nosso coração e não de nós fisicamente.
E existem tantas formas de nos magoarmos, não é mesmo? Basta um olhar reprovador, uma palavra dura, uma falta de atenção. Mas, quando nos colocamos na posição contrária, quando olhamos de fora, percebemos que, muitas vezes, nós nos magoamos por nada. É que aquele amigo, ou amiga, falou a verdade e isso você não queria ouvir. E, talvez, a dor seja por que ele/ela, tenha razão. Ou quando esperamos pela resposta de alguém que silencia, parece uma afronta. Começamos a conversar conosco mesmos na tentativa de entender.
E tudo vai virando uma bola de neve.
Muitas vezes, a outra pessoa nem nota o que está acontecendo e, quando percebe, você já jogou a toalha. Quantas amizades acabam assim? Quantos relacionamentos bons? Falta de diálogo? Às vezes, sim. Mas, às vezes, é aquele vírus intelectual a quem chamamos de orgulho o causador da dor. Nem é a ausência da pessoa, ou o que ela falou, mas o nosso orgulho ferido que passa para nós(como fazem os próprios vírus) o seu material genético e sobrevive através das nossas forças, minando-as.
Se nos magoam, cabe a nós decidir o que fazer com o que fica. Não dá para falar que é fácil perdoar e continuar do ponto de onde se parou, como se nada tivesse acontecido. Afinal, como em uma virose, existem os sintomas, a produção de anticorpos, todo um processo. Nós mudamos à medida das nossas experiências. Ficamos mais imunes. Mas, dependendo do significado da pessoa na sua vida, aos poucos, com paciência e insistência calma, ela consegue ir voltando ao seu lugar dentro de nós, não é?
Do outro lado, quando somos nós quem causamos a dor, cabe a nós a paciência da espera do tempo do outro e a busca por mostrar nosso arrependimento sincero. Por que ninguém está livre de cometer erros, de magoar a quem se ama. Ainda mais a quem se ama! E como dói, também, em nós quando magoamos pessoas assim. É, exatamente, o pedacinho do nosso ser que agora é habitado por ela.
Remexer-se dentro do coração de alguém, pode sim causar dores muito fortes. Voltar à conformação de antes, talvez, seja quase impossível. Daí, a palavra mágica “perdão”. Mas, que de mágica não tem nada. Funciona como uma vacina, para as próximas investidas do vírus do orgulho que, como tantos, sofre mutações.
Não acontece de repente. É um processo. Porém, esse processo só se inicia a partir do momento que um(a) aperta o botão do querer. Querer perdoar é o primeiro passo. Aliás, querer é o primeiro passo de qualquer motivação. E que, se não houver motivação nenhuma, o próprio querer ficar em paz seja suficiente para desengatar esse processo, que pode ser longo, mas pode acontecer em pouco tempo. Repouso, muito líquido e vitamina, quer dizer: sinceridade, coragem e equilíbrio na oração. Por que existe a questão do amor próprio, também. Mas, essa é outra reflexão.
Tem coisa que é você e suas certezas. Você e suas convicções. Você e seu mundo. Você e suas decisões. Você e Deus. Sem falsos arrependimentos. Sem autojulgamentos ou qualquer complexo de inferioridade(superioridade). Sem medo ou receio. Pois, ficar livre das amarras que nos seguram, nos permite voar. Principalmente, se elas são microscópicas, invisíveis mesmas aos olhos. E, levantar da cama disposto, tomar um banho morno e partir para a vida motivado, não tem nada melhor. Combata e voe. Todo mundo é capaz.

Fer Perl©

O que você lê se transforma em você

O que significa curtir uma postagem? Você não é a mesma pessoa desde que começou a ler isto. Vamos nos modificando. E sermos pessoas melhores depende do que estamos deixando que tenha passagem livre através de nossas janelas.

 Essa frase me ocorreu outro dia. E ela quer dizer muito. “Ler” aqui não significa apenas o ato de pegar um texto e decodificá-lo através da leitura. Trata-se das ideias que você concebe para si, dos aprendizados e experiências.Com o advento do Face, nós nos acostumamos a “curtir” alguma coisa que publicam, mas ainda não temos a chance de “não curtir” da mesma forma o que não gostamos, pois não há a mãozinha sinalizando o polegar para baixo (dizem que já existe por aí). Bem, porém, aquilo que lemos, ou a imagem que vemos antes de clicar em curtir precisa achar consonância, em nós, com o que concordamos sobre determinado assunto. Ou mesmo, com aquilo que achamos engraçado Quando nos identificamos com algum tipo de leitura, filme, ambiente, jeito de ser, etc, isso diz muito sobre a nós. Não é à toa que tendemos a nos aproximar de quem tem gostos parecidos com os nossos.
Parece brincadeira, mas tudo o que aprendemos se transforma em nós. Por isso o título dessa pequena reflexão. Nosso cérebro vai criando novas conexões, à medida do nosso aprendizado e experiências. Por isso, ao meu ver, seja tão importante ler sobre vários assuntos. Mas, procurar uma linha de raciocínio o mais próximo da verdade, da realidade, mais coerente. Algo do tipo “matemático”, onde as premissas precisam dizer muito das conclusões. Como? Procurando conhecer quem escreveu tal livro, disse tal coisa, ou dirigiu tal filme e em que circunstâncias isso aconteceu. Suas convicções, seu ponto de vista sobre assuntos importantes. Todos têm algo bom a ensinar. Mas, o assunto principal em pauta é o que importa na sua escolha. É como uma ideia que se multiplica e que acaba sendo absorvida por muitos sem questionamento. Esse é o perigo de algumas ideologias. Quando entramos em uma discussão com “quem entende do assunto”, é importante tentarmos enxergar os vários pontos de vista entre os especialistas. A partir daí, vamos construindo nossa própria opinião.
Irão surgir dúvidas. Que elas surjam! Pois, é a partir delas que podemos formular uma “certeza”. As certezas não precisam ser fechadas em si mesmas, para não corrermos o risco de nos tornarmos “convictos” em tudo e não darmos espaço para questionamentos, nem ao menos, sabermos defender nossa opinião. Não! Por mais que se tenha certeza de algo, depois de estudar, questionar, tirar dúvidas, é importante saber ouvir. Quem é “convicto” nunca cresce, pois acha que já sabe o suficiente. Nunca se sabe o suficiente. Daí, a Pesquisa estar sempre aberta a novas descobertas, por exemplo. As Teorias, vez ou outra, sofrem modificações. As doutrinas são revisadas. Os alicerces são fortalecidos.
Porém, isso não quer dizer dar bolas para qualquer tipo de fala. Não! Quando perceber que se trata de algo que já está bem acomodado e que aquilo é, na realidade, uma etapa anterior à que você se encontra, não dê atenção. Por exemplo, quando você vê o refrigerante como algo delicioso que parece matar a sede e cai bem em qualquer lanche, você nem ao menos questiona o que está bebendo, apenas vive o momento. Até que um dia, por curiosidade, ou necessidade, você acaba tendo de procurar saber um pouco mais. E fica sabendo dos ingredientes, das consequências do excesso de uso, etc. Você passa a enxergar o refrigerante com outros olhos e, muitas vezes, até decide não beber mais. Se alguém chega para você e argumenta que não há outra bebida mais deliciosa para se ter em um lanche com os amigos e se a pessoa não tem a menor noção de que é feito um refrigerante, você pode descartar tal argumentação feita pela pessoa, pois já haverá passado por ela e se aprofundado um pouco mais.
Claro, se a pessoa quiser saber, você pode orientá-la, senão, deixe quieto. Que ela aprenda por si mesma. Mas, com certeza, você terá deixado uma pulga atrás de sua orelha.É assim em vários assuntos, em tudo. Não basta saber por saber, crer por crer, gostar por gostar, é preciso ter argumentos, mesmo que sejam para si próprio. Daí, você não ficará tremendo à menor ventania. É preciso estudar, ler, ouvir, ver outros pontos de vista. Isso é crescer intelectualmente, também.
Aquilo que vai se transformando em nós, também vai definindo nossos pontos de vista, nossas escolhas. Não aceite apenas algo pronto. Tente entender como tal coisa foi feita. Dá um pouco de trabalho sim. Mas, depois que se começa a refletir, passa-se a exercer cidadania, a perceber que por mais que pareça pouco, o que você fizer pelo bem precisa ser feito mesmo assim. Há toda uma indústria de marketing que tenta dizer o contrário e convence pela borda.Mas, no que depender de você: procure boas leituras, faça boas escolhas. Elas serão você. Isso é ser livre. Ah, e quando descobrir que está errado sobre algo, tenha a humildade de reconhecer. Os verdadeiros sábios são simples.
Fer Perl©

7.29.2015

Aprendendo

Se o tempo parasse
E percebêssemos que o amar
Nada mais é que enxergar o outro
Em sua plenitude infinita
Que se encontra com a nossa
E que nos faz seres humanos
Com bordas físicas reais
Mas, bordas invisíveis
Incontestavelmente delicadas
Perceptíveis apenas àqueles
Que convivem com o tempo
E conseguem parar para
Aprender o outro
Alguns conseguem
Fer Perl©

6.03.2015

Ruga na alma/ Wrinkle in the soul

Há tanta ruga na alma
Que deixa bonita a alma
E faz o sorriso e a lágrima
Mais verdadeiros de ser.

Fer Perl ©


There is a wrinkle in the soul
And it makes a beautiful  soul 
And it makes the smile and the tear
More true of being.


Fer Perl ©

5.29.2015

Chronos vs Kairos

Duas expressões de origem grega.
Resumidamente (é como se): nosso corpo é chronos, nossa alma é kairos.

Fer Perl ©



Two words of Greek origin.
Briefly (as if it was): Our body is chronos, our soul is kairos.


Fer Perl ©

5.22.2015

Cara Esperança,
Você não deixa esquecer, não deixa desistir, não deixar parar o tempo na lembrança de um fim. Não sei qual o seu tamanho. Só sei que você bagunça a cabeça da gente....mas, por favor, nunca vá embora.

Fer Perl ©



Dear Hope,
You don't allow us forget, you don't allow us give up, you don't allow time stop in the memory of an end. I do not know what is your size. I just know you mess our head.... but please never go away.


Fer Perl ©

5.16.2015

Simple vs Complex

O simples me comove, o complexo me fascina.

Fer Perl ©



The simple moves me, the complex fascinates me.

Fer Perl ©

7.18.2014

Não tenha medo

Não tenha medo de amar o amigo
Não tenha medo de amar o irmão
Não tenha medo da liberdade de ser humano
E poder enxergar nos olhos aqueles que são tão frágeis quanto você
Por serem humanos também
Não tenha medo de "desperdiçar" seu tempo em prol de uma palavra amiga
Não tenha medo do que isso poderá lhe causar
Constrangimento, mal entendimento, falta de compreensão
A sinceridade do seu ato justificará você
E o tornará capaz de revirar entulhos altos
Em prol de um canto de luz
Dentro de si e dentro de alguém
Ame o amigo
Ame o irmão
Ame quem puder amar
Não se perde nada bom quando se faz isso.
Fer Perl

9.27.2013

Um senhor e seus amigos

Eu os vejo sempre na mesma pracinha, sua morada. Um senhor, cabelos grisalhos e dois cachorros "vira-latas". O carinho entre eles é nítido e fico pensando como o senhor se comunica com eles, a não ser pelo amor. Da última vez, meu coração ficou apertado com a cena que vi. Um dos cachorros, o pretinho, machucou a pata, provavelmente em algum atropelamento. Estava mancando. O senhor o incentivava a andar e o cachorro, para agradar ao amigo, esforçava-se ao máximo, mancando e andando. Deram a volta na praça. Então, o senhor se sentou e fixou o olhar no cachorrinho que se deitou e recostou a cabeça sobre as patas dianteiras. Ambos estavam tristes. Imaginei o que se passaria naqueles corações. O outro cachorro estava farejando alguma comida pelo chão da praça. De repente, quando voltei a olhar para o senhor, ele estava a conversar com o cachorro machucado. Ele falava como quem falava com uma criança, apontando o dedo, dando uma lição. O cachorro, cabisbaixo, ficava olhando para o senhor pelo canto do olho. Como me comoveu aquilo. Não pude ajudá-lo. Mas, imagino a dor daquele velho homem ainda jovem ao ver seu melhor amigo sofrendo e não poder fazer nada. Não sei se é pecado, mas fiz uma oração pelo cachorro. Pedi a Deus que o curasse daquele machucado. Para que aquele senhor não ficasse mais só do que já é. Sei que Deus me ouviu. Que todos possamos perceber a vida nos recantos por onde passamos. Pois, a vida mesma passa rápido demais e percebê-la nesses "recantos" é como acrescentar mais tempo a ela.

Fernanda P. (Fer Perl©)